Passar para o conteúdo principal

O Futuro da Moda e do Retalho

O universo da Moda e do Retalho está a passar por mudanças profundas derivadas da globalização, novas tecnologias e novos intervenientes.

A tecnologia sempre existiu na moda e a máquina de tecelagem da revolução industrial é frequentemente considerada como o primeiro computador. Mais tarde, o conceito “fast fashion” revolucionou o retalho e posteriormente todo o processo de fabricação. Hoje, o universo da moda assiste à transformação da sua cadeia de valor, da criação à fabricação, ao retalho, incluindo modelos de negócios. Isto é visível através da utilização de tecnologia para os processos de criação (Computer – Aided Design), de manufatura (impressão 3D ou impressoras digitais de tecidos) e retalho, onde a Amazon se tornou o fornecedor número um de vestuário (com oito marcas próprias) em 2016 -2017, posicionando-se à frente dos fornecedores tradicionais. Além disso, o e-commerce está a abrir portas para novos players, como a plataforma Farfetch. O modelo tradicional de negócios está a ser posto em causa por novos intervenientes, como os influenciadores, que substituem as revistas de moda de forma muito mais segmentada e eficiente. A moda também está a entrar em novas indústrias, como a saúde, através dos dispositivos vestíveis (wearables).

O retalho tradicional está a viver o “apocalipse de retalhe” e a estratégia omnichannel parece ser a única opção, pois as fronteiras entre on-line e off-line estão a diluir-se. A Amazon oferece a solução Amazon Go, que pode tornar os operadores de caixa obsoletos. Ao mesmo tempo, alguns players digitais como a Farfetch estão a investir no retalho tradicional (através da aquisição da Brown em 2015 e no projeto loja do futuro).

Nesta conferência Knowledge@CatólicaLisbon, temos o prazer de apresentar um painel muito diferenciado de oradores, que conta com Filipa Neto da Farfetch,  Joana Rafael da Sensei (uma tecnologia para acompanhar melhor os clientes na loja), com Sabine Seymour e o projeto Supa (que recolhe dados biométricos através de dispositivos vestíveis), bem como Nuno Ribeiro da Fabernovel, que apresentará um estudo aprofundado da Amazon na indústria da moda.

ALTA DIGITAL