Press News & Events

Marcelo reforçou confiança dos portugueses na Presidência da República

Friday, February 16, 2018 - 11:45
Publication
Jornal de Negócios

Um estudo da CATÓLICA-LISBON mostra que a Presidência da República é a instituição da sociedade portuguesa em que os cidadãos mais confiam. E que essa confiança aumentou com Marcelo.

A Presidência da República é a instituição da sociedade em que os portugueses mais confiam. E desde que Marcelo Rebelo de Sousa tomou posse, em Março de 2016, essa confiança só tem vindo a crescer.
Estas são algumas das conclusões do Estudo da Sociedade Portuguesa – Felicidade, Hábitos de Consumo e Confiança Económica da Sociedade Portuguesa da CATÓLICA-LISBON que aferiu indicadores como Confiança no Governo, Confiança em Instituições e Avaliação de Serviços Públicos.

O estudo mostra que, entre Março de 2016 - altura em que o indicador foi medido pela primeira vez, e em que Marcelo tomou posse como presidente - e Novembro de 2017, registou-se um crescimento de 46,1% no valor médio de confiança no Presidente da República, sendo este o indicador que mais cresceu.

No extremo oposto, as instituições que merecem menos confiança por parte dos portugueses são os bancos, ainda que a confiança nas instituições financeiras tenha crescido 11,8% desde Março de 2016. A par com os bancos, os portugueses confiam pouco na igreja e nas religiões organizadas. E cada vez menos, já que este indicador caiu 4,6% no período em análise. Também o valor médio de confiança nas forças armadas diminuiu 4%.

Os participantes reportaram ainda níveis moderados de confiança no governo no que respeita a resolução de problemas nacionais (4.82) e internacionais(5.03), e indicam confiar moderadamente nos portugueses quanto à tomada de decisões(4.79), numa escala de 1 a 10 pontos.

No mesmo sentido, o nível de satisfação com a forma como Portugal é governado é moderado (5.04), tendo aumentado, porém, 30,3% de Março de 2016 a Novembro de 2017. 

"Comparando os resultados obtidos em Novembro de 2017 com dados obtidos em Março de 2016, o valor médio de satisfação com a criação de emprego cresceu 35,1%, com as finanças nacionais aumentou 32,6%, com o desenvolvimento económico cresceu 28,2%, enquanto o valor médio de satisfação com questões relacionadas com fenómenos naturais (por exemplo, chuvas intensas, ventos fortes, temperaturas muito elevadas ou muito baixas) diminuiu 23,9%", acrescenta o estudo, a que responderam cerca de mil participantes.

Related Press News

19/09/2018 - 15:11
Jornal de Negócios
A nova directiva de pagamentos, a PSD 2, pode ter o mesmo impacto nos serviços financeiros que a Uber no transporte ou a Booking e Airbnb no turismo, defende Nuno Fernandes, "dean" da Católica Lisbon School of Business...
15/09/2018 - 15:14
Diário de Notícias
Quem é Donald Trump? Esta é a perplexidade do momento, que desafia a generalidade dos analistas e afecta todo o mundo. Antes do meio do mandato, os estudos multiplicam-se, sem realmente responderem à questão. Não sabemos o que ele é, mas conseguimos já...

Upcoming Events

21
Sep
09:00

Room 511, CATÓLICA-LISBON

1649-023
Portugal